Filosofia weltan schauung 4 de maio de 2022

Imortalidade: consciência e símbolo

O filósofo ocidental do século XX d.C. encontra-se nua posição substancialmente idêntica à do pensador egípcio do século XX a.C: tanto o filósofo quanto o autor da Disputa estão perturbados pela desordem de sua época, e ambos estão em busca de uma realidade que não está mais viva nas imagens ao seu redor. Ambos querem recuperar o sentido dos símbolos ora usados no debate cotidiano. A disputa contemporânea entre crenças doutrinárias e objeções igualmente doutrinárias é a contrapartida da primeira parte da Disputa, a parte argumentativa; e o filósofo de hoje precisa ir farejando em busca de verdade em meio ao tipo mesmo de imagens e de argumentos que seu predecessor 4 mil anos atrás considerou que expressavam um modo deficiente de existência.   (EMBERLEY, Peter; COOPER, Barry. Fé e Filosofia Política: a correspondência entre Leo Strauss e Eric Voegelin. É Realizações: São Paulo, 2017, p. 239-240).